Pergunta: Você pode dizer a diferença entre poder espiritual e poder oculto?

Sri Chinmoy: O poder espiritual é muito vasto e luminoso. Ele está constantemente expandindo tanto o finito quanto o infinito. Se algo é pequeno, a vida espiritual o fará maior. Sendo bastante grande, a espiritualidade o fará ainda maior. O poder oculto é de um tipo diferente. Pode-se dizer que é um poder direto, focado, imediato – bastante afiado, como o fio de uma espada.

Quando o poder espiritual é utilizado, ele é todo paz, todo harmonia. Caso alguém esteja aplicando poder espiritual em você, haverá um poder dinâmico, mas ainda assim não há agressividade nele. É como observar o mar quando ele está calmo e quieto. Quando fica turbulento, com ondas, você fica assustado. Porém, quando o mar está em silêncio você não tem medo. Em ambos os casos, o mesmo poder está presente. Quando você entra na consciência do mar, vê que ele tem um poder tremendo, ilimitado. O poder espiritual é uma vastidão silenciosa, infinita, como um mar calmo sem movimentos agressivos. Mas tem um poder sólido – força sólida, dinâmica.

Já no poder oculto, existe um tipo de movimento que é quase sempre desassossegado. Uma criança possui força; um adulto também a possui. O poder de uma criança está sempre se revelando ou manifestando; a criança está constantemente buscando expressar o seu poder. Mas uma pessoa crescida sabe que dispõe de poder e que pode utilizá-lo às suas ordens e, assim, não sente a necessidade de expressá-lo constantemente. Um detentor de poder oculto raramente possui paz, ao passo que um detentor de poder espiritual é inundado de paz. Um detentor de poder oculto faz uma enorme demonstração do seu ocultismo; um Yogi com poder espiritual busca interiormente mudar a face do mundo.

Muitas vezes o poder oculto é utilizado de uma maneira negativa. No ocultismo, você verá que o poder é praticamente como aquele de um animal feroz. Quando pessoas que não são sábias utilizam poder oculto, é apenas para a destruição. Será positivo somente quando orientado por um Mestre espiritual. Possuir poder oculto é como andar na corda bamba – algo perigoso e arriscado. Ter poder espiritual é como caminhar ao longo de uma estrada sólida, onde não há perigo. E, se alguém tem ambos, poder espiritual e poder oculto, também não haverá dificuldade ou perigo. Com poder espiritual seremos bem sucedidos – lenta, constante e infalivelmente. Seremos, sem sombra de dúvidas, capazes de realizar o que nos propomos a fazer. Com o poder oculto, se nós o utilizarmos corretamente, poderemos fazer o que quisermos de maneira direta e imediata. Se a tremenda velocidade do ocultismo sente a necessidade da entrega à luz-sabedoria do poder espiritual, ele se torna uma verdadeira bênção para a humanidade. É uma verdadeira dádiva de Deus, pois a humanidade não tem paciência, ela quer que tudo seja rápido – dito e feito! Todavia, se o ocultismo se colocar contra o poder espiritual, estará negando sua própria verdade. E, quando a verdade é negada, gera destruição na humanidade e para a humanidade.

Caso alguém queira praticar o ocultismo para despertar a consciência da humanidade, precisa primeiro conquistar o medo: medo físico, vital, mental e psíquico. Se esse ocultismo for praticado para servir ao Supremo, à divindade na humanidade, então será necessário conquistar o vital inferior, o qual chamamos de sexual. Esse anseio impuro e obscuro da nossa natureza humana deve ser totalmente superado. E, então, se puder realizar que você mora na Vida Eterna enquanto estiver na vida efêmera, a Infinidade, Eternidade e Imortalidade que alcançar em seu próprio ser interior ou consciência poderão ser usadas para servir à humanidade de uma maneira divina. Nesse momento, o poder oculto será uma verdadeira bênção.

É meu desejo que meus alunos dedicados, que estejam interessados em poder oculto, mantenham isto em mente: primeiro a espiritualidade e depois o ocultismo; primeiro a divindade e depois a humanidade. Alguém poderá servir à humanidade apenas quando conhecer a divindade e conseguir permanecer na divindade. Manifestação sem realização não é manifestação alguma. É como um corpo sem vida. Uma vez que eu tenha alcançado a Meta e me tornado a Meta, tudo estará dentro de mim. Nada poderá me perturbar; nada poderá me destruir; nada poderá de maneira alguma me ferir. Tudo na criação de Deus poderá ser visto, sentido e aceito. A pessoa realizada estará em posição de lidar com ambos: poder espiritual e poder oculto. Após ter realizado a Verdade, enquanto for manifestá-la na Terra, você deverá utilizar a ajuda de todos os planos, incluindo o oculto.

A espiritualidade é muito superior ao ocultismo. A região do oculto e das práticas ocultas também são parte da criação de Deus. Mas nós não precisamos passar através das regiões do oculto se o que buscamos é Realização em Deus. Se alguém quer Deus e Deus apenas, devo dizer que o ocultismo não conseguirá ajudar em nada na sua Realização em Deus. No entanto, a espiritualidade é absolutamente necessária para se realizar Deus.

Um verdadeiro aspirante espiritual não se interessa realmente por ocultismo. Mas no seu caminho em direção ao Altíssimo, o poder oculto às vezes automaticamente vem até ele como um teste, para ver se esse poder realmente o impressionará, fazendo-o mostrar ao mundo a sua capacidade de fazer milagres, ou se o utilizará de maneira adequada e divina. Ocasionalmente, quando o aspirante está à beira da realização, poderes ocultos de vários planos de consciência vêm e tocam seus pés, dizendo: “Mestre, utilize-nos. Estaremos a seu serviço; não criaremos nenhuma desordem. Apenas nos utilize para a plenitude da sua realização.” Isso aconteceu com vários Mestres espirituais.

Eu utilizei poder oculto muitas e muitas vezes, mas apenas quando fui requisitado a fazê-lo pelo Supremo em mim. E eu o utilizo apenas para ajudar interiormente. Fico relutante em utilizar o meu poder oculto exteriormente, pois serei mal interpretado. Além disso, nunca o utilizarei para punir ou torturar alguém. O poder oculto é bastante dinâmico, mas as pessoas não costumam adquirir dele o dinamismo. Elas adquirem, ao invés disso, a agressividade, e usam esse poder agressivo para ferir outros ou satisfazer seus desejos pessoais.

Poder oculto por si só não é ruim. Algumas pessoas dizem que, quando uma pessoa recebe poder oculto, ela enganará os outros e arruinará a si mesma. Na Índia, algumas personalidades espirituais simplesmente não buscam poder oculto. Mas o poder em si não é ruim. Ele é tal qual a maneira como você o utiliza. Se você tiver fogo, você pode se queimar ou pode cozinhar alimento. Se tiver uma faca, pode ferir alguém ou pode esculpir uma bela estátua. Até certo ponto, é verdade que, se você não tiver uma faca, é claro que não poderá fazer nada de ruim. Mas existem muitas coisas boas que não será capaz de fazer. Somos nós que devemos utilizar o poder oculto sabiamente, se e quando o obtivermos.

Alguns Mestres espirituais recomendam aos seus alunos que não lidem de forma alguma com as forças ocultas e que pratiquem primeiro a vida espiritual. Eles obterão então poder espiritual, o qual nunca criará problemas. Pela sua própria natureza, o poder espiritual não tem aquela qualidade agressiva ou destrutiva que o poder oculto tem. Mas mesmo o poder espiritual pode ser utilizado inadequadamente, caso não se ouça os ditames do ser interior ou do Supremo.

Também existem aspirantes espirituais que praticam a espiritualidade juntamente com o ocultismo. Dizem que durante o dia deve-se praticar a espiritualidade e que durante a noite deve-se praticar o ocultismo. Deixar que a espiritualidade e o ocultismo andem lado a lado é um caminho um pouco perigoso. Muitos tentaram, e a maior parte deles falhou em combinar ambos de forma adequada. A maneira mais segura e mais efetiva é lançar-se na vida espiritual e ampliar a consciência até o Infinito e a Eternidade. Você terá então maestria completa no mundo oculto.

Se um Mestre espiritual tem a capacidade de utilizar poder espiritual, você poderá indagar se ele é capaz de utilizar também poder oculto sem cometer erro algum. A resposta é não. Quando um Mestre espiritual utiliza poder espiritual, normalmente ele o utiliza bem. Mas quando falamos de poder oculto, não é que o Mestre o utilize inadequadamente; na verdade, ele pode apenas não saber como lidar com isso. Quando o Mestre não é do maior calibre, há um tremendo conflito entre poder espiritual e poder oculto. Se isso acontecer, o que deveria ele fazer? Deveria descartar completamente o seu poder oculto. Ele deveria dizer: “Eu não o quero. É muito perigoso. Utilizarei apenas poder espiritual, o qual é um infinito mar de Luz e Felicidade. Essa Luz e Felicidade é poder suficiente para mim.”

Caso você pratique Kundalini Yoga apenas um pouco – digamos, quinze minutos diariamente –, juntamente com a sua verdadeira meditação e aspiração, verá que os seus centros psíquicos ou do oculto estarão se abrindo. No entanto, se tiver entrado para a vida interior apenas para obter poder oculto e mostrar ao mundo a sua capacidade, a sua vida nunca despertará para a verdadeira espiritualidade. Se quiser abrir o seu chakra cardíaco e demonstrar milagres para que as pessoas o apreciem ou admirem, e se acha que receberá mais inspiração através do apreço e admiração deles, estará cometendo um engano. Em outros assuntos, quando você faz algo e é exaltado aos céus, pode ser que receba mais inspiração para fazer ainda melhor. Mas nesse caso não é assim. Se mostrar um pouco do seu poder oculto e os outros demonstrarem apreciação, você pode ter certeza de que será o seu fim. Não ficará inspirado; pelo contrário, ao invés de buscar profundamente o seu interior para obter a verdadeira realização, você continuará aumentando o seu poder oculto. O poder oculto é todo tentação.

Quanto mais você demonstrar poder oculto, mais rápido o perderá, porque não terá sido capaz de se tornar um com a fonte. A fonte do poder oculto é a Luz – bastante limitada, mas ainda assim, a mais pura Luz. Se for lidar com Luz, então deveria lidar com a Luz espiritual. Se ela for limitada, não haverá mal nisso, pois não criará perigo algum. Poderá ser que fique com dor de cabeça se invocar muita Luz, mas ela não o destruirá. Mesmo se você trouxer poder espiritual além da sua capacidade, ele não o destruirá completamente. Porém, se atrair para o seu organismo poder oculto além da sua capacidade, você acabará num asilo psiquiátrico. Ele é perigoso e destrutivo a tal ponto.

O nosso primeiro desejo deveria ser agradar ao Supremo. Para agradá-Lo, devemos oferecer a Ele toda a nossa aspiração e colocar tudo a Seus Pés. Uma vez que tivermos agradado ao Supremo, então Ele é quem decidirá se receberemos Dele poder espiritual ou poder oculto, ou ambos. Caso Ele queira nos dar poder espiritual, tudo bem. Caso Ele queira nos dar poder oculto, tudo bem. Se nos entregarmos à Sua Vontade e Ele nos conceder poder oculto, podemos ficar tranquilos, pois Ele também nos dará a capacidade para utilizar esse poder de forma adequada, para Ele.

Se quiser agradar ao Supremo à sua própria maneira, você fará muitas coisas que não são sinceras para agradar a Ele. Buscará agradá-Lo a ferro e fogo. Se a sua natureza não for pura, poderá chegar ao ponto de tentar bajulá-Lo ou chantageá-Lo. Porém, se a sua natureza for pura, absolutamente pura, puríssima, você buscará agradá-Lo da maneira que Ele quer ser agradado. Se puder fazer isso, se puder agradar a Deus à maneira própria Dele, todo o poder oculto e todo o poder espiritual estarão a seus pés, servindo a você.

O mundo precisa agradar a Deus. Agradando-O, o mundo se tornará pronto para a iluminação. Mas ele está perdidamente se encaminhando ao desapontamento, pois clama por poder. Se o mundo quisesse o Amor de Deus, nessa altura já teria sido salvo, iluminado, aperfeiçoado e imortalizado.